Curso de Formação e aperfeiçoamento para babás


Com o clássico e ainda crescente estudo sobre o desenvolvimento infantil acrescido de ferramentas para sensibilização e humanização do cuidado, este curso visa oferecer o aprimoramento técnico e emocional das pessoas que estarão em contato íntimo, as vezes diário e ininterrupto com seus filhos. É um investimento pra toda vida!

O intuito é auxiliar a qualidade da atenção e do cuidado com as crianças desde o nascimento.

Assim, o curso é destinado às próprias babás que queiram ampliar seus conhecimentos e qualificações, com noções de Psicologia, Autoconhecimento e Dinâmicas de relacionamento e também para mães, pais e cuidadores que desejam promover essa oportunidade para as babás que já estejam cuidando de seus filhos.

Oferecemos ainda encontros de Supervisão:

Sua babá, ou você que é babá, poderá se manter sob supervisão ao longo do curso, como também estendê-la por determinado período, a fim de auxiliar sua qualificação e aprimoramento.

Entre em contato para maiores informações e

reserve sua vaga para a primeira turma em 2013!

– rodamaterna@gmail.com –

Anúncios

Papo de Mãe

Papo de Mãe é um programa exibido pela TV Brasil, no Rio canal 2, e traz sempre temas muito interessantes.  A TV Brasil é uma ótima opção pra quem curte informação séria e útil, sem vínculos com interesses empresariais e etc. São exibidos programas interessantíssimos tanto infantis como adultos.

O programa Papo de Mãe é um papo descontraído entre as apresentadoras, mães e profissionais relacionados ao tema em questão. A preocupação é apresentar temas do cotidiano das mulheres-mães seja na gestação, mães de bebês, crianças e adolescentes. Veja o vídeo de um dos programas:

 

Mais informações no site do programa: http://www.tvbrasil.org.br/papodemae/

O diferencial da Orgonomia no trabalho com gestantes

Devo dizer que, pelo que percebo em meu dia a dia, alguns trabalhos direcionados às gestantes são quase sempre orientados por uma divisão entre explicações estéreis dos fatos, ginástica corporal, uma fala rápida sobre os aspectos emocionais que podem ser vivenciados neste período, etc. Uma hora se explica os acontecimentos, outra hora se trabalha o corpo e outra hora ainda se fala das emoções. A partir desta constatação, venho pontuar o diferencial da abordagem orgonômica em contraponto a estas outras abordagens existentes. Este diferencial se constitui no caráter global da abordagem, onde o corpo, as experiências, as emoções, a fala (…) são considerados como expressões de um só fenômeno, o ser.

 Aquela forma de trabalhar compartimentalizada desvela um pensamento de base positivista ou mecanicista da ciência que pressupõe uma separação entre mente e corpo, ou a divisão do homem que proporcionou o que hoje vemos como a extrema especialização profissional. Este pensamento sustenta uma antiga visão do ser humano, como uma máquina. Esta máquina ao apresentar problemas ou um mau funcionamento deveria ser tratada ou consertada por partes, numa atitude reducionista. Esta mesma atitude nos remete ainda (e não devemos nunca esquecer) os interesses das indústrias farmacêuticas em reforçar e manter este paradigma que norteia o pensamento Ocidental relacionado ao conceito de doença.

Ora, tal atuação deve no mínimo ser vista com estranhamento, com a possibilidade de reconhecermos as limitações dessas abordagens no mundo atual. Digo mundo atual, pois hoje muito se tem discutido sobre o que é a Ciência, o status que ela possui na sociedade e que linhas de pensamento a orientam, contextualizando politicamente, historicamente a sua prática.

A Ciência que preconiza a objetividade e a neutralidade em seu método, cujo objeto contraditoriamente é o ser humano, está cada vez mais perdendo seu reinado. É o que podemos ver nas produções de Edgar Morin, sobre o Pensamento Complexo ou nos escritos de Bertalanffy na Teoria dos Sistemas, Fritjof Capra sobre a mudança de paradigmas, etc. (para dar exemplos sem pretender esgotar a enorme lista de autores que contribuíram para essa discussão).

A Teoria Reichiana ou Orgonomia, em consonância com o novo paradigma científico, é um campo de conhecimento holístico, que considera o caráter biológico, psicológico, social e energético do homem e ao tratar o período da gestação ao puerpério se utiliza deste olhar. Portanto, o trabalho da Orgonomia com gestantes oferece uma visão global e sensível sobre um ser complexo que deve ser considerado como tal.

Este trabalho não é um mero exercício corporal nem tão pouco uma psicoterapia profunda, mas um trabalho que visa o bem estar da mulher gestante (e conseqüentemente de seu bebê) e a busca da saúde global partindo do princípio no qual mente e corpo são uma unidade funcional.

Esclarecimentos sobre a Lei do Acompanhante

A questão do direito ao acompanhante relativo às gestantes é polêmica. Muitas pessoas possuem dúvidas e encontram obstáculos reais ao seu cumprimento no dia a dia das instituições do serviço de saúde, seja público ou privado.

No site da Parto do Princípio você pode se informar e esclarecer essas dúvidas tão frequentes, clique no link abaixo e acesse.

Esclarecimentos sobre a Lei do Acompanhante

Leia mais:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Lei/L11108.htm

http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.cfm?idtxt=24112

 

 

O que cabe aos pais?

Eu diria…aos pais cabe à educação amorosa, à transmissão de valores como respeito, bondade, fraternidade, empatia e compaixão. A falta desta educação moral e ética unida à ideologia individualista e mesquinha de nossa sociedade criam uma fábrica de seres humanos violentos, maldosos, maliciosos e orgulhosos.

A liberdade tão enfatizada por pais e educadores sofreu deturpações sérias ao longo do tempo. Juntamente com a valorização da liberdade, veio a confusão entre autoritarismo e autoridade. Os pais temem ser autoritários e assim deixam de exercer sua autoridade. A autoridade parental é fundamental para o bom desenvolvimento da criança. Acontece que essa dificuldade dos pais (certamente relacionada com o contexto histórico do país) serviu muito bem à lógica capitalista, neo-liberalista. Uma sociedade sem educação e limites torna-se fatalmente mais vulnerável. Na medida em que cuidado e limites estão intimamente relacionados com oferta de amor, produz-se uma sociedade carente de amor e sedenta por consumo. O que vemos como conseqüência disto são adultos imaturos o suficiente para não saberem como educar seus filhos e sentindo-se culpados por isso compram presentes, besteiras, guloseimas, tudo ou quase tudo que os filhos pedem a fim de suprir sua falta de contato profundo. O fato é que desta forma, sem um compromisso com a vida e seus valores éticos e morais, essa falsa liberdade atrelada ao amor imaturo e superficial tem sido passada de geração em geração pela grande maioria da população.

A miséria e a violência se perpetuam diariamente sem que as pessoas se dêem conta disso. O desenvolvimento de uma consciência crítica é fundamental e ouso dizer urgentemente necessária. O conforto que o conformismo e a inércia proporcionam vem acompanhado da miséria da humanidade.

 A escolha que deve ser feita está entre o que é certo e o que é fácil.